sexta-feira, 30 de agosto de 2013

As Crises de Birra


As crises de birra são reações à frustração, que ocorrem a partir do segundo ano de vida. Manifestam-se através de choro, gritos, empurrões, se jogam no chão entre outros.

Essas crises são desencadeadas por negativas ou exigências feitas e se constituem em manobras que as crianças utilizam para intimidar e, com isso, alcançar o seu desejo.

A repetição das crises depende quase que exclusivamente da atitude dos adultos. Se as crianças perceberem que os pais realmente se intimidam diante das cenas de birra, então provavelmente estas se repetirão, em frequência e intensidade proporcionais ao temor dos pais.

A criança aprende que repetindo aquele comportamento, por mais desgastante que seja é um meio de alcançar os seus desejos.


6 comentários:

Anônimo disse...

Professora, tenho um filho de 9 anos e ele vive fazendo birra. O que eu faço?

Renata Saldanha

luciana disse...

muito bom,tirei muitas dúvidas com as aulas e espero tirar mais com o blog.

Sandra Pio disse...

Renata, respondendo tua pergunta do dia 30 de agosto.
Renata
A birra acontece por volta dos dois anos. Neste momento os pais e professores impõem os limites necessários. Com o passar do tempo e os comportamentos de birra se manifestando cabe aos pais serem firmes e não atender as solicitações da criança naquele momento, devido ao comportamento inadequado dela. Deve-se explicar para a criança que tão logo ela pare de chorar ou se jogar no chão, seja o que for sua manifestação, vocês sentarão para conversar. A criança vai testando e manipulando de acordo com a intimidação que causa aos pais e outros adultos próximos. É importante manter a calma e não valorizar o choro. Em seguida ela se acalma, passa aquela raiva e certamente ela voltará tranquila para conversar. É o momento do adulto ajudá-la a refletir se valeu todo aquele desgaste. Te aconselho a agir com o teu filho, da mesma forma. Sendo firme e não cedendo. Com o tempo ele irá aprender que este comportamento não está sendo satisfatório. Não espera que esta mudança ocorra já na primeira tentativa, ele levou alguns anos agindo assim e vai ser difícil mudar. O importante é que mantenhas segurança e firmeza na tua atitude. Em breve ele vai ver que deverá buscar outros meios para resolver e alcançar o que quer.
Espero ter contribuído e agradeço por seres a primeira a participar do blog. Escreve sempre. Será um prazer te responder! Bjs

Rafael Maciel disse...

A Elisa esta nesta fase, mas eu uso a cadeirinha pra acalmar e vou conversando. Mas tem que ter paciencia,

Sandra Pio disse...

Rafael, concordo contigo, tem que ter paciência. A Elisa está aprendendo e também testando a autoridade dos pais. Se o choro e os gritos intimidarem ela usará estes comportamentos até alcançar seus desejos. Conversar é o melhor, vais colher certamente quando ela estiver maior. O "não" é muito importante para a estrutura da personalidade. Os pais precisam aprender a dizer não! É difícil mas necessário.

Sandra Pio disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.